Cobertura

Novos olhares sobre servitização e market access na indústria farmacêutica são destaques


no segundo Encontros COPPEAD em Saúde


No último dia 14 de junho, no auditório CT1 da COPPEAD-UFRJ, foi realizada a segunda edição do Encontros COPPEAD em Saúde, evento promovido pelo Centro de Estudos em Gestão de Serviços de Saúde (CESS) com o apoio da Alumini COPPEAD,  que visa debater temas contemporâneos  no âmbito da gestão em saúde.

Tendo como tema principal “Servitização e Market Access na Indústria Farmacêutica”, o encontro contou com a presença do CEO da Evidências – A Kantar Health Company, Otávio Clark, do professor do CESS-COPPEAD, Eduardo Raupp, e  do médico e professor do Departamento de Clínica Médica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Denizar Vianna.

Na abertura do encontro, a coordenadora do CESS, professora Cláudia Araújo, apresentou as atividades de ensino e pesquisa desenvolvidas pelo Centro  e destacou o valor que eventos como este possuem por proporcionar a disseminação do conhecimento na área de gestão de serviços em saúde. A professora salientou também a importância de “rever o sistema de remuneração do setor já que atualmente está ancorado na doença e não na saúde”.

No turno da manhã, a primeira palestra foi proferida pelo professor e pesquisador Eduardo Raupp, que buscou contextualizar  as diferentes formas de abordar e compreender a servitização na saúde. De acordo com Raupp, compreender serviços é algo vital no desenvolvimento de qualquer campo, ainda mais na área de saúde, que é o setor que mais gera serviços e renda no mundo. Para ele, um ponto estratégico é perceber que “a inovação em serviços deve estar baseada  no modo como os clientes definem o valor”.

Logo após, o CEO da Evidências, Otávio Clark, compartilhou sua vasta bagagem profissional no setor. Logo no início de sua fala, instigou os participantes a pensarem o que é acesso, destacando tratar-se de um conceito complexo, que, muitas vezes, não é compreendido com clareza inclusive pelos profissionais da área. Segundo ele, “o acesso a mercado ainda é um conceito em evolução”. Clark enfatizou também a transparência de acesso às informações que temos hoje como um dos principais diferenciais da maneira como a indústria farmacêutica passa a trabalhar e pensar no século XXI.

Já no turno da tarde, o médico e professor Denizar Vianna promoveu uma dinâmica de grupo sobre market access na indústria farmacêutica. Vianna expôs cases com os mais diversos obstáculos enfrentados para levar medicação para o paciente, correlacionando-os com o contexto de gestão política nacional. Os casos apresentados geraram produtivos debates entre os participantes.

Encerrando o evento, Otávio Clark retomou o debate que havia começado pela manhã, questionando os participantes sobre  o programa de acesso a mercado mais bem-sucedido no país.  A resposta, segundo Clark, seria a fosfoetanolamina sintética, mais conhecida como a “pílula do câncer”. Para ele, tal sucesso deu-se pela capacidade de influência e impacto em todos os setores sociais, fato que acelerou os processos burocráticos nas agências governamentais. A seguir, apresentou outros quatro cases de sucesso no Brasil.

A edição contou com um significativo número de participantes, que debateram e dialogaram intensamente sobre as temáticas propostas. Para a diretora comercial e market access da Mundipharma, Cristiane Coelho, o evento possibilitou a “ troca de experiências e ouvir outros profissionais experientes para os quais o acesso realmente é o diferencial”.

Para o coordenador do evento, professor Olavo Diogo, o encontro superou as expectativas até mesmo dos próprios organizadores.  Segundo ele, o principal legado foi “perceber que é possível motivar os participantes do setor farmacêutico a considerarem o impacto da servitização nos processos relacionados às atividades de market access”.

A próxima edição do Encontros COPPEAD em Saúde acontecerá no dia 19 de julho com a temática “Qualidade e Segurança do Paciente”.

Comments